O panorama: jornal litterario e instructivo de Sociedade Propagadora dos Conhecimientos Uteis, 12. cilt

Ön Kapak
Na Typ. da Sociedade, 1855
1 Eleştiri
Yorumlar doğrulanmaz ancak Google, sahte içerik olup olmadığını kontrol eder ve tespit ettiklerini kaldırır

Kitabın içinden

Kullanıcılar ne diyor? - Eleştiri yazın

Her zamanki yerlerde hiçbir eleştiri bulamadık.

Diğer baskılar - Tümünü görüntüle

Popüler pasajlar

Sayfa 219 - Rey de Portugal e dos Algarves, daquem e dalem mar em Africa, Senhor de Guiñé e da conquista, navegacao, comercio de Ethiopia, Arabia, Persia e da India.
Sayfa 144 - Pourquoi la lumière at-elle été donnée à un misérable, et la vie à ceux qui sont dans l'amertume du cœur?
Sayfa 368 - France de s'ouvrir l'ancienne route du commerce de l'Inde, accompagnées de Recherches sur l'isthme de Suez et sur la jonction de la mer Rouge. Par»'
Sayfa 162 - Perdemos o homem grande, mas tivemos a ventura de nascer na sua edade, e de admirar ainda vivo aquelle que a posteridade saudará pelos gloriosos monumentos que levantou a Portugal. É um orgulho generoso este, que devemos sentir todos os que assistimos á esplendida alvorada d'aquelle genio, ao robustecer d'aquelle choupo gigante, ao quebrar d'aquelle vaso de eleição, em que a Providencia se (*) Do Portugal Artistico, janeiro de 1855. comprazeu de encerrar todas as graças da imaginação e todas...
Sayfa 64 - ... perturba, tudo toma, tudo cega, tudo penetra; em tudo e por tudo se mete, sem aquietar nem sossegar um momento, enquanto o vento dura. Acalmou o vento: cai o pó, e onde o vento parou, ali fica; ou dentro de casa, ou na rua, ou em cima de um telhado, ou no mar, ou no rio, ou no monte, ou na campanha.
Sayfa 341 - ... heroína de novella trinando solitaria no recóndito das florestas. «Sentei-me n'um canto obscuro, sem dar fe nem do que se passava no aposento, nem das extravagantes physionomias dos que entravam ou saiam; as vistas attentas, o...
Sayfa 64 - Estão essas praças no verão cobertas de pó: dá um pé-de-vento, levanta-se o pó no ar, e que faz? O que fazem os vivos, e muitos vivos. Não aquieta o pó, nem pode estar quedo; anda, corre, voa; entra por esta rua, sai por aquela; já vai adiante, já torna atrás; tudo enche, tudo cobre, tudo envolve, tudo perturba, tudo toma, tudo cega, tudo penetra; em tudo e por tudo se mete, sem aquietar nem sossegar um momento, enquanto o vento...
Sayfa 403 - ... e ronca ao longe, Tentam com furia enorme a immovel rocha. Que o grosso rolo d'agua estala c quebra Sobre o fixo caxopo alcantilado. Que vão no ar saltando, Encrespa a branca espuma e cae desfeito. Magnanimo Marquez, tu com sereno Intrepido semblante Encarando a fortuna rugir ouves De ingratidão o monstro abominavel ; Tu com placido espirito olhas cercado De imposturas e afrontas Satiras vis de petulantes monos. Almas eu vejo de remorsos cheias, Co'as mãos tapando o rosto Confuzas esconderem-se...
Sayfa 318 - Uma ou duas horas correram quasi imperceptivelmente no deleitoso delirio, que aquellas notas de sereia inspiravam, e nào foi sem magua, que eu vi a companhia dispersa, eo encanto desfeito. As donas do aposento tendo recebido aviso para assistirem à ceia de sua magestade, fizeram-me uma mesura com o maior donaire e desappareceram.
Sayfa 90 - ... por cima de alcantiladas rochas até virem confundir-se com as aguas do grande rio ! Vê para outro lado os placidos ribeiros que lá correm murmurando por entre espessos e frondosos bosques, fazendo bulir mansamente a branca areia. Ahi tens uma nova ilha, que a natureza vae formando no meio do rio, para servir de recurso aos vasos atacados da furiosa tormenta.

Kaynakça bilgileri