Sayfadaki görseller
PDF
ePub
[merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][graphic][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][merged small]

93, Rua dos Invalidos, 93

1901

[ocr errors]
[blocks in formation]

(Memoria Historica pelo Barão Homem de Mello lida na sessão

do Instituto Historico de 6 de Dezembro de 1901)

Um seculo é já decorrido, depois que o Brazil revelou á metropole e á Europa a opulencia de sua cultura intellectual com uma pujança, que era já o prenuncio de sua independencia.

Vejamos como inaugurou o Brazil o começo do seculo XIX, deste seculo tão cheio de agitações, cujos dias derradeiros ainda ha pouco se cerraram com a solemnidade das grandes épocas historicas.

Abriu-se o seculo XX para nossa patria com uma pagina de gloria escripta pelo nosso patricio Alberto dos Santos Dumont, conquistando para a sciencia o dominio dos ares.

Desta alta culminancia lancemos um olhar retrospectivo sobre o passado, e vejamos o que foram os seus e nossos compatriotas ao abrir-se o seculo XIX.

Deste estudo tão digno da magestade da historia, resulta um ensinamento proficuo ás novas gerações e um estimulo para se repetir no futuro o que tảo nobremente os nossos maiores realizaram no passado.

Nas sciencias, nas lettras, nas armas e nas artes, o Brazil de 1801 nos apresenta uma serie de homens notaveis, que rivalisaram com as primeiras celebridades da metropole, honrando-se esta em lhes reconhecer e consagrar o seu merito.

Nas sciencias distinguiram-se os seguintes Brazi leiros :

Naturalistas

José Bonifacio de Andrada e Silva, socio effectivo da Aca

demia Real das Sciencias de Lisboa, e lente de Metallurgia da Universidade de Coimbra. Natural da cidade de Santos. Seu valor como homem de sciencia está consagrado nos livros classicos de ensino sobo

nome - d'Andrada. Alexandre Rodrigues Ferreira, socio effectivo da Aca

demia Real das Sciencias de Lisboa, natural da Bahia, formado em philosophia pela Universidade de Coimbra. Em resultado de sua commissão scientifica pelo Pará e Matto Grosso, deixou-nos uma tão grande somma de trabalhos philosophicos, que admira houvessem sido produzidos em uma só vida. Grande parte

delles está hoje conservada na Bibliotheca Nacional. Manoel Ferreira da Camara de Bittencourt e Sá, socio effe

ctivo da Academia Real das Sciencias de Lisboa, natural do Serro Frio, formado em leis e em philosophia pela Universidade de Coimbra, companheiro de José Bonifacio em sua excursão scientifica pela Europa.

« ÖncekiDevam »